O mês de outubro é dedicado exclusivamente a prevenção do câncer de mama. Conhecido como “Outubro Rosa”, neste mês todas as mulheres acima de 40 anos são estimuladas a fazer o exame mamográfico. Se você não está nessa faixa etária, informe suas amigas e familiares para conscientização dessa prática.

O câncer da mama é o câncer do tecido da mama. Mundialmente, é a forma mais comum de câncer em mulheres, afetando uma em cada treze mulheres que atinge os noventa anos.

Uma vez que a mama é composta de tecidos idênticos em homens e mulheres, o câncer de mama também ocorre em homens, embora esses casos sejam menos de 1% do total de diagnósticos.

O câncer de mama na verdade ainda não pode ser prevenido, mas deve sim ser diagnosticado o mais cedo possível. Por isso recomenda-se que as mulheres conheçam o seu corpo desde que apresentem o crescimento das mamas na adolescência.

O autoexame das mamas, hoje em dia, deve ser chamado de autocuidado, e pode ser feito pelo menos uma vez ao mês, preferencialmente no mesmo dia do mês para que as mulheres se familiarizem com suas mamas.

O exame mais importante para o diagnóstico precoce do câncer de mama se chama mamografia. Um exame simples, barato e rápido de ser feito. Ele consegue diagnosticar tumores de tamanho de 1mm, sendo que nesse estágio inicial da doença podemos ter 95% de chance de cura. Por isso, mulheres acima de 40 anos devem procuram o seu médico de confiança, mastologista ou oncologista para fazer o seu exame anual. Caso a mulher tenha menos de 40 anos, mas tenha história familiar de câncer de mama, deve começar a investigação mais cedo, antes dos 40 anos, realizando o exame de ultrassonografia de mamas.

O sintoma mais comum de câncer de mama é o aparecimento de nódulo, geralmente indolor, duro e irregular. Outros sinais de câncer de mama são edema cutâneo semelhante à casca de laranja, retração cutânea, dor, inversão do mamilo, hiperemia, descamação ou ulceração do mamilo e secreção papilar, especialmente quando é unilateral e espontânea. Podem também surgir linfonodos palpáveis na axila.

Os tratamentos para câncer de mama resumem-se em clínicos e cirúrgicos. Na maioria das vezes inicia-se o tratamento pelo tratamento cirúrgico, que consiste em quadrantectomia (retirada de um quadrante da mama) ou mastectomia (retirada de toda mama). Após realização da cirurgia de mama, normalmente, é realizado quimioterapia e radioterapia com intuito de prevenção de metástases.

Em relação a quimioterapia, existem inúmeros protocolos de tratamento, dependendo muito do estágio no qual a doença se encontra, que pode variar desde um estágio inicial até em um estágio mais avançado.

Em 2013 tivemos a liberação pela ANVISA do uso das medicações TDM-1 e pertuzumabe para mulheres com câncer de mama metastático her2 positivo; e em 2014, uma grata surpresa foi o início do uso do medicamento eribulina. Portanto, novos remédios para o tratamento dessa doença em estágio mais avançado e que aumentam o tempo e qualidade de vida das pessoas.

A cada participação nossa em congressos sobre câncer de mama, podemos discutir a prática do uso desses novos medicamentos com outros médicos oncologistas e temos a certeza que os tratamentos realizados em nossa cidade estão em conformidade com o padrão internacional, garantindo às mulheres da região serrana um tratamento humanizado e de excelência a exemplo do que ocorre em clínicas renomadas dos grandes centros.

 

Autora: Dra. Maitê de Liz Vassen Schurmann

Médica Oncologista Clínica – CRM: 11084